Blog, Viagem
Leave a comment

Viagem ao México – Cultura e muita comida boa. (Dias 3 e 4)

Passeio pelo centro de Ciudad de México

Os dois primeiros dias eu já contei o que rolou na minha VIAGEM AO MÉXICO! Agora chegou a hora do 3º e 4º dia!

3º DIA

o 3º dia, além de estar no Epicentro (no meio) da viagem, foi para mim o melhor de todos!

No meio da viagem já não tinha o cansaço do avião, jet lag. Me sentia em casa no México, estava enturmada e super animada com a programação do dia (passeios “mil” e a noite a festa de premiação dos 50 melhores restaurantes da América Latina). Loucura! Loucura! Loucura!!

E fomos conhecer o centro histórico de Ciudad de México.

Bellas Artes

Centro cultural artístico da Ciudad de México. Há apresentações de balé, música clássica e ópera. Com arquitetura em estilo Art Nouveau, o palácio Bellas Artes foi construído em 1934 e é tida como a principal obra arquitetônica da cidade. Suas enormes cúpulas e colunas de mármore talvez só se ofusquem com o brilho da cortina do palco, feita com milhões de cristais coloridos. A cortina foi produzida em NY, por nada mais, nada menos que a joalheria TIFFANY.

Palácio Bellas Artes - Viagem ao México

Palácio Bellas Artes – Viagem ao México

Palacio dos Correos

Palacio dos Correos

Palacio dos Correos

Com linda e imponente arquitetura, o prédio foi construído em 1907 . O projeto é desenho do arquiteto italiano Adamo Boari, também co-autor do Palacio Bellas Artes. Em seu exterior o edifício possui muitas obras de artes, além de peças em bronze produzidas na Itália.

Zócalo

Está localizada no coração da Ciudad de México. Ao seu redor encontra-se outras jóias arquitetônicas como: a Catedral Metropolitana, Templo Mayor, Palacio Nacional. Os turistas podem passear naqueles carrinhos/bicicleta com a ajuda das fortes pernas dos motoristas/bikers.

Eu e o guia Alan na praça Zócalo - coração da Ciudad de México.

Eu e o guia Alan na praça Zócalo – coração da Ciudad de México.

Catedral Metropolitana

Uma das mais antigas catedrais da América, foi construída em vários períodos desde 1573 a 1813. É a sede episcopal da Arquidiocese do México. O estilo é bem eclético – possui influência barroca, gótica, plateresco (é um estilo arquitetônico exclusivo do Renascimento espanhol) e neo-clássico.

Catedral Metropolitana Mexico

Catedral Metropolitana

Templo Mayor

Dentro, no centro da cidade, está o Templo Mayor. Por debaixo da terra foi descoberto vestígios da civilização Tenochtitlan, capital do império asteca.

Templo Mayor - Viagem ao México.

Templo Mayor – Viagem ao México.

Os espanhóis edificaram sobre ela, a Catedral Metropolitana, e assim, por séculos, perdeu-se a memória do velho e precioso Templo da capital asteca. O Templo Mayor foi descoberto acidentalmente, no final da década de 70 por trabalhadores da companhia de energia elétrica, encontraram as estruturas que os arqueólogos estavam procurando.

Crânios templo mayor

Crânios Templo Mayor (não são verdadeiros, originais. É uma simulação de culto aos mortos que os astecas praticavam e que os mexicanos fazem até hoje.)

Toda a atividade deles, girava em torno do profundo sentimento religioso. Os rituais de comunicação com os deuses era muito forte, faziam sacrifícios e até mesmo a morte era comum para agradar e satisfazer deuses dos sol, chuva, lua.

Dentro do templo mayor com catedral metropolitana ao fundo - Viagem ao México.

Dentro do Templo Mayor com catedral metropolitana ao fundo – Viagem ao México.

MAP – Museu de Arte Popular

Ah, esse Museu é muito divertido! Esculturas super alegres, com cores vibrantes, transmite bem a essência e a riqueza cultural do México – de um povo alegre, simpático, divertido e que da morte fazem uma festa linda, xô baixo astral.

Nele você entrará de cabeça na arte folclórica mexicana, com a pegada Folk Art. Eu que amo esse tipo de arte, não preciso nem dizer que pirei, né? E a lojinha do MAP?  Ui! Foi difícil me controlar, eu queria comprar tuuuudo!

esculturas no MAP

Esculturas no MAP

A sala dia de los Muertos é super pop! Transmite a tradição dos mexicanos com este dia que para a maioria do povos é tido como triste, macabro, assustador.

sala - dia de los muertos méxico camila masullo

sala – dia de los muertos méxico camila masullo

O dia de los muertos teve origem nas civilizações indígenas – em destaque para a cultura asteca que homenageava seus mortos com grandes e longas cerimônias festivas.

A celebração conta com comidas, altares e decorações preparados de acordo com gosto das pessoas falecidas, pois a crença diz que na ocasião eles retornam para visitar os familiares.

Dia de los muertos no México, é só alegria! Na passagem do dia 1 para o dia 2 de novembro, os cemitérios ficam iluminados com velas, flores e caveiras feitas de doces. As pessoas se enfeitam. Os altares possuem as comidas favoritas dos mortos.

Dia de los muertos no México

Dia de los muertos no México

Azul Histórico

Chegou a hora de mexer os bigodes!!! (Frase célebre do guia, se referindo a hora de comer).

O Restaurante Azul Histórico está dentro de uma galeria super descolada. A decoração tem um ar romântico pop, com velas e flores de artesanatos penduradas nas árvores. Achei demais! Super vibe.

Restaurante Azul Histórico

Restaurante Azul Histórico

Os pratos são deliciosos, vale super a visita! Lá é possível provar guacamole com chapolins (sim, os grilos fritinhos! Aliás, é desse bichinho que nasceu o Chapolin do Chaves).

Chapolins no guacamole

Chapolins no guacamole

Sinceramente, o dia que provei o grilo sozinho, meu deu um pouco de estranheza. Mas, quando provei no guacamole, achei realmente bom!! Eu curti e comi pacas.

Eu arrasei na minha pedida de prato principal. Tava sensacional!

Camarões com salsa de coentro do Azul Histórico

Camarões com salsa de coentro do Azul Histórico (detalhe no fundo da panela de arroz com castanha de caju) HUMMMM, babei!

E ai, barriga cheia, hora de caminhar e fazer a digestão.

SQN (só que não!! Ahahaha 😛 )!! Hora de comer mais um pouco.

Penso: Afe Maria acho que vou explodir. Vou voltar para o Brasil uns 5 quilos a mais. Mas tá valendo. Tá bom demais, vamos aproveitar. Depois corro (literalmente) atrás do prejuízo.

Que Bo! Chocolateria Mexicana evolutiva

Fizemos uma degustação e tanto na Que BO! Nem parece chocolate, parece jóia.

degustação de chocolates que bo!

degustação de chocolates que bo! O amarelo é coberto com pó de ouro. Chique!!! rs

Do chef José Ramón, a chocolateria fina, 100% mexicana, possui filosofia inovadora e evolutiva. Produz com matéria prima cacau orgânico, sem adicionar gordura vegetal, açúcar, nem lactose. A aposta é em textura e sabores.

Mais chocolates Que Bo!

Mais chocolates Que Bo!

Está entre as 10 melhores do mundo. Visita imperdível.

Sorvete Que Bo! Uma pena que já tinha comido tanto. Tava bom demais!!!

Sorvete Que Bo! Uma pena que já tinha comido tanto. Tava bom demais!!!

Lugar muito agradável. Que Bo!

Lugar muito agradável. Que Bo!

No vídeo abaixo, pode ter mais ou ideia do que eu estou falando.

Hora de ir para o Hotel, descansar 30 minutos e se preparar para a grande festa de premiação.

Festa 50 melhores restaurantes da América Latina

A festa estava linda! Lotada de pessoas interessantes.

E eu, lógico que fui tietar os chefs brasileiros que admiro muuuito.

Com Claude Toigros (Olympe) e Alberto Landgraf (Epice)

Com Claude Toigros e Alberto Landgraf

O manto dourado indica que são chefs e estão concorrendo ao posto dos 50 melhores restaurantes da América Latina.

Com Roberta Sudbrack

Com Roberta Sudbrack

Orgulho de nós mulheres brasileiras!!! A Roberta Sudbrack foi eleita pela Veuve Clicquot a melhor chef mulher da América Latina! E pensar que ela começou vendendo cachorro quente nas ruas. Essa mulher me inspira muito!!! Muito feliz em conhecê-la pessoalmente.

Veja aqui a lista completa dos 50 melhores restaurantes da América Latina 2015.

Dos brasileiros

4º lugar – D.O.M – Alex Atala (infelizmente não estava presente na premiação);

8º lugar – Maní – Helena Rizzo e Daniel Redondo (infelizmente tb não estavam presentes na premiação);

14º lugar – Roberta Sudbrack – Roberta Sudbrack;

16º lugar – Lasai – Rafa Costa e Silva (entrada triunfal dele entre os 50 melhores restaurantes da América Latina);

23º lugar – Olympe – Claude e Thomas Troisgros

26º lugar – Epice – Alberto Landgraf

35º lugar – Mocotó – Rodrigo Oliveira (infelizmente não estava presente na premiação);

38º lugar – Remanso do Bosque – Thiago Castanho

Atum por Rafael - Restaurante Lasai

Atum por Rafael – Restaurante Lasai

Valeu Brasil!!

Bem, agora dormir, descansar que dia seguinte é dia de turismo nas pirâmides de Teotihuacan.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vou adorar saber a sua opinião. Deixe um comentário :)